Annablume Editora
BOX_HEADING_LOGIN_BOX
Seja Bem Vindo(a)!

Faça seu login
Cadastre-se

 
 
 
HomeSite
Busca Rápida
Suas Compras   Meu Carrinho 0 Iten(s):
Fabricantes
Fabricantes
Categorias
Categorias
        -Arquitetura, Urbanismo e Políticas Urbanas
        -Biblioteca Flusseriana
        -Corpo, Sexualidades e Políticas da Multidão
        -Cultura Tecnológica e Redes Digitais
        -Geografia e Temas Socioambientais
        -Sociologia
        -Todas as Coleções
        -Todos os Temas
        Artes
        Outros Temas
        Revistas
Promoção
Especiais mais
TRABALHO E AÇÃO COLETIVA NO BRASIL
TRABALHO E AÇÃO COLETIVA NO BRASIL
De: R$ 80,00
  Por: R$ 64,00
Economia de R$ 16,00
Veja mais promoções
Novidades
Novidades mais
Religião, corporeidade e direitos reprodutivos
Religião, corporeidade e direitos reprodutivos
R$ 40,00
R$ 32,00
Veja mais novidades
O desejo do roçado
O desejo do roçado
Código do Produto: 14x21
De: R$ 64,00
Por: R$ 48,00
Economia de R$ 16,00
 

O Desejo do Roçado: práticas e representações camponesas no Pontal do Paranapanema
Maria Celma Borges
Formato 14x21 cm, 314 páginas
ISBN 978-85-391-0037-8

O livro aborda a luta dos trabalhadores, homens e mulheres, para conquistar a terra e para nela permanecer, na região do Pontal do Paranapanema, Estado de São Paulo. Partindo da história e da memória dos camponeses, a autora percorre o antigo caminho do extremo-oeste paulista, ambiente marcado pela violência do domínio da terra e da gente, envolvendo as populações indígenas, pequenos arrendatários, sitiantes, posseiros e bóias frias. Esta compreensão histórica é base para o entendimento do Movimento Sem Terra na contemporaneidade. Uma história de lutas narrada por sujeitos a partir de marcos de memória que produzem significados para suas vidas em acampamentos e assentamentos. Marcos presentes desde as primeiras ações, como a “ocupação de fazendas”, “o seqüestro de oficiais de justiça”, “a matança de bois”, o “trabalho coletivo”, a “troca de dias de serviço”, entre outros. O desejo do roçado, expresso na mística em torno da terra, evidencia a vontade individual e coletiva, em uma simbiose. Isso possibilita entender que as ações da organização, ao se voltarem para a transformação social, não são díspares do que sonhara grande parte dos assentados: a terra de trabalho e a liberdade. Objetividades e subjetividades evidenciam o indivíduo e o coletivo, entrelaçados, a mostrar a dinamicidade do “todo”, mas sem que as “partes” deixem de existir como potencialidades para as lutas camponesas.

 
Newsletter
Ofertas e promoções exclusivas por e-mail