Annablume Editora
BOX_HEADING_LOGIN_BOX
Seja Bem Vindo(a)!

Faça seu login
Cadastre-se

 
 
 
HomeSite
Busca Rápida
Suas Compras   Meu Carrinho 1 Iten(s):
Fabricantes
Fabricantes
Categorias
Categorias
        -Arquitetura, Urbanismo e Políticas Urbanas
        -Biblioteca Flusseriana
        -Corpo, Sexualidades e Políticas da Multidão
        -Cultura Tecnológica e Redes Digitais
        -Geografia e Temas Socioambientais
        -Sociologia
        -Todas as Coleções
          - Archai
          - Artes Performativas e Filosofia
          - Atopos
          - Cidadania e Meio Ambiente
          - Classica Digitalia Brasil
          - Crítica Contemporânea
          - Filosofia e Linguagem
          - Geografia e Adjacências
          - História e Arqueologia em Movimento
          - Leituras do Corpo
          - Palavra e Conhecimento
          - Políticas da Multidão
          - Queer
          - Sentido e Significação
          - Trabalho e Contemporaneidade
          - Ato Psicanalítico
          - Estudos & Fontes
          - Olhares
        -Todos os Temas
        Artes
        Outros Temas
        Revistas
Promoção
Especiais mais
Psicanálise e teoria política contemporânea
Psicanálise e teoria política contemporânea
De: R$ 75,00
  Por: R$ 60,00
Economia de R$ 15,00
Veja mais promoções
Novidades
Novidades mais
Planejamento urbano e regional no Brasil: as ideias, planos e co
Planejamento urbano e regional no Brasil: as ideias, planos e co
R$ 60,00
R$ 48,00
Veja mais novidades
Debaixo da imediata proteção imperial
Debaixo da imediata proteção imperial
Código do Produto: 14x21 cm
De: R$ 43,00
Por: R$ 32,25
Economia de R$ 10,75
 

Debaixo da imediata proteção imperial - Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (1838-1889)
Lucia Maria Paschoal Guimarães
Formato 14x21 cm, 184 páginas
ISBN: 978-85-391-0275-4

Debaixo da imediata proteção imperial é fruto de um estudo a respeito da história do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, a Casa da Memória Nacional do Brasil. O recorte histórico abordado (1838-1889) é delimitado pelos marcos da criação do instituto e da queda do regime imperial, quando terminou, portanto, a imediata proteção de D. Pedro II.
Com base na documentação oficial do instituto, além da correspondência particular dos sócios, jornais de época e relatos de viajantes e cronistas – que auxiliaram na composição do cenário político, social e intelectual da época –, a autora analisa não apenas sua estrutura e funcionamento, mas também o papel fundamental que a casa cumpriu na própria construção da memória do país.

 
Newsletter
Ofertas e promoções exclusivas por e-mail