Annablume Editora
BOX_HEADING_LOGIN_BOX
Seja Bem Vindo(a)!

Faça seu login
Cadastre-se

 
 
 
HomeSite
Busca Rápida
Suas Compras   Meu Carrinho 0 Iten(s):
Fabricantes
Fabricantes
Categorias
Categorias
        -Arquitetura, Urbanismo e Políticas Urbanas
        -Biblioteca Flusseriana
        -Corpo, Sexualidades e Políticas da Multidão
        -Cultura Tecnológica e Redes Digitais
        -Geografia e Temas Socioambientais
        -Sociologia
          - -Annablume Literária
          - Crítica Contemporânea
          - Trabalho e Contemporaneidade
        -Todas as Coleções
        -Todos os Temas
        Artes
        Outros Temas
        Revistas
Promoção
Especiais mais
O feminismo é feminino? A inexistência da Mulher e a subversão d
O feminismo é feminino? A inexistência da Mulher e a subversão d
De: R$ 55,00
  Por: R$ 44,00
Economia de R$ 11,00
Veja mais promoções
Novidades
Novidades mais
Ele fala de si como de um outro: ensaio sobre a voz em Samuel Be
Ele fala de si como de um outro: ensaio sobre a voz em Samuel Be
R$ 40,00
R$ 32,00
Veja mais novidades
Trabalhismo, círculos operários e política: sindicatos agrícolas
Trabalhismo, círculos operários e política: sindicatos agrícolas
Código do Produto: 14x21
De: R$ 39,00
Por: R$ 29,25
Economia de R$ 9,75
 

Trabalhismo, círculos operários e política: a construção do sindicato de trabalhadores agrícolas no Brasil (1954 a 1964)
Leila de Menezes Stein
Formato 14x21cm, 218 páginas
ISBN 978-85-7419-805-7

"A longa luta de conquista da cidadania pelos trabalhadores rurais, no Brasil, passa pela construção do sindicalismo rural e do trabalhismo agrário na década de 1960 – movimentos e tendências políticas que, caudatárias da herança getulista, se empenharam na consolidação agrícola em suas variadas formas. E, este livro, traz uma importante contribuição para o entendimento da institucionalização do sindicalismo naquela década.
Ao indagar-se sobre o motivo pelo qual a sindicalização rural teria se realizado naquele período e não em outra conjuntura – tendo em vista que o conflito de terras e a resistência das classes dominantes são constantes na história do país -, a autora conclui que o trabalhismo agrário se desenvolve em conseqüência de suas próprias necessidades e das demandas autênticas do movimento popular, e não meramente como explicação da crise institucional ou como instrumento de controle e negociação dos interesses da classe operária.
Com base nisso, a análise detalhada do perfil dos inúmeros atores que participaram na articulação e da fundação do sindicalismo agrícola fornece uma visão abrangente de um processo que nos permite melhor entender seus desdobramentos atuais."

Maria Teresa M. Kerbauy

Sumário sintetizado

Introdução

Capítulo 1 Desenvolvimento da agricultura, estado e questão social agrária
1.1 Personagem central da dominação na agricultura
1.2. Conflitos, estado e questão agrária “política”
1.3. Política populista e movimentos sociais agrários
1.4. Partidos políticos e populismo: enquadramento dos conflitos
1.5. Conclusão

Capítulo 2 Trabalhismo, questão agrária e representação: novos personagens e conflitos sobre uma pauta de direitos
2.1. João Goulart e trabalhismo: a personagem
2.2. Trabalhismo no governo JK
2.3. Cisões no trabalhismo: Movimento Trabalhista Renovador e Grupo Compacto
2.4. Reformismo cristão, Partido Democrata Cristão e ascensão do Janismo
2.5. Jânio Quadros e o desmantelamento da política trabalhista
2.6. Algumas conclusões

Capítulo 3 ”Sindicato de trabalhadores rurais” no parlamentarismo
3.1. Ministério no gabinete Tancredo Neves
3.2. Comissão nacional de política agrária
3.3. Ministério do Trabalho no gabinete Tancredo e os “Sindicatos de Trabalhadores Rurais”

Capítulo 4 Plebiscito, CGT e presidencialismo: a construção do sindicato trabalhista agrário
4.1. A fundação Comando Geral dos Trabalhadores (CGT)
4.2. Supra: recorte institucional
4.3. Ministério do Trabalho no gabinete Hermes Lima e a luta pelos sindicatos agrícolas
4.4. Sindicalização trabalhista no presidencialismo (janeiro de 1963 a março de 1964)

Capítulo 5 Igreja, atores sociais e sindicatos de trabalhadores rurais
5.1. Igreja católica e sindicatos rurais
5.2. Movimento Circulista
5.3. Propostas doutrinárias para o movimento popular (1960-1964)
5.4. FECOESP e os sindicatos de trabalhadores agrícolas
5.5. Ação Católica, Movimento de Educação de Base e Ação Popular (AP)
5.6. Ação Popular a fundação de sindicatos
Também compraram este produto
Clientes que compraram este produto, também compraram:
     Trabalho e sindicato: o ABC Paulista e o Sul Fluminense   Trabalho e sindicato: o ABC Paulista e o Sul Fluminense
Newsletter
Ofertas e promoções exclusivas por e-mail