Annablume Editora
BOX_HEADING_LOGIN_BOX
Seja Bem Vindo(a)!

Faça seu login
Cadastre-se

 
 
 
HomeSite
Busca Rápida
Suas Compras   Meu Carrinho 0 Iten(s):
Fabricantes
Fabricantes
Categorias
Categorias
        -Arquitetura, Urbanismo e Políticas Urbanas
        -Biblioteca Flusseriana
        -Corpo, Sexualidades e Políticas da Multidão
        -Cultura Tecnológica e Redes Digitais
        -Geografia e Temas Socioambientais
        -Sociologia
        -Todas as Coleções
        -Todos os Temas
        Artes
        Outros Temas
        Revistas
Promoção
Especiais mais
Religião, diálogo e múltiplas pertenças
Religião, diálogo e múltiplas pertenças
De: R$ 40,00
  Por: R$ 40,00
Economia de R$ 0,00
Veja mais promoções
Novidades
Novidades mais
Urbanismo e política no Brasil dos anos 1960
Urbanismo e política no Brasil dos anos 1960
R$ 80,00
R$ 80,00
Veja mais novidades
É do dendê! Nação Xambá no Recife (1950/92)
É do dendê! Nação Xambá no Recife (1950/92)
Código do Produto: 14x21
De: R$ 57,00
Por: R$ 57,00
Economia de R$ 0,00
 

É do dendê! História e memórias urbanas da nação Xambá no Recife (1950/92)
Valéria Gomes Costa
Formato 14x21cm, 218 páginas
ISBN 978-85-7419-887-3

“Capturar a trajetória de uma pequena comunidade de santo no Recife/Olinda em meio à história da cidade e parte dela, de baixo para cima, desde a periferia da cidade, mas também em disputa por reconhecimento por parte das forças hegemônicas no próprio candomblé da cidade, e perceber as intimações dessa experiência para nosso tempo é o que se encontrará neste trabalho. Aqui se exploram aspectos da confluência de três processos distintos e nem sempre harmônicos entre si que têm atingido em cheio a população afrodescendente no Brasil: a politização de sua identidade em termos de um movimento social organizado, o crescente mainstreaming das religiões afro-brasileiras e as lutas por igualdade de gênero envolvendo as mulheres negras.

Trabalho de interesse para estudiosos e militantes dos movimentos negro, de mulheres e religiosos; gestores das políticas culturais e sociais locais e nacionais; e para um público que se interessa pela história urbana do Recife e Olinda enquanto lugares não só ocupados por gente, mas habitados ativamente por pessoas e grupos que lutam, articulam e negociam espaços de reconhecimento e igualdade.”

Joanildo Albuquerque Burity
Fundação Joaquim Nabuco

Sumário sintetizado

Prefácio Regina Beatriz Guimarães Neto

Capítulo 1 Cidade do Recife: espaço da vigilância e de estratégias da população afrodescendente
A cidade do Recife sob múltiplos olhares
Higienizando a cidade: perseguição e repressão aos adeptos dos cultos afro-brasileiros
Guerra religiosa: espíritas kardecistas e católicos contra os adeptos das religiões afro-brasileiras
Leis e tensões que pressionam o povo-de-santo dentro dos subúrbios
Os subúrbios nos anos 1950: intensificação da ocupação e organização dos grupos afrodescendentes nos espaços geográficos
Deslocamento do Terreiro de Mãe Biu: do bairro de Santa Clara para o Portão do Gelo – contextos de possibilidades
A mobilização das pessoas em prol do deslocamento do Terreiro de Santa Clara para o Portão do Gelo
O fortalecimento dos laços de união entre os membros do Terreiro para a construção da nova sede do terreiro

Capítulo 2 Portão do gelo: lugar de configuração dos espaços pela comunidade do terreiro Santa Bárbara – Xambá
Primeiras ocupações de espaços: a habitação do Portão do Gelo pelos membros do Terreiro
Um novo lugar: uma nova configuração familiar
Nos arrabaldes do Terreiro Santa Bárbara: apropriação de novos espaços físicos para a agregação da família de Mãe Biu
Ampliação dos espaços físicos de moradia: novas mobilizações e aglutinações dos membros do Terreiro em torno de Mãe Biu
O Terreiro e o espaço público: apropriação e visibilidade
Portão do Gelo e o Xangô de Mãe Biu – sinônimos de lugar: espaço da constituição do nome Severina Paraíso da Silva como autoridade local
Terreiro Santa Bárbara – Xambá: lugar do profano ou ampliação dos espaços sagrados?

Capítulo 3 Nação Xambá! Um universo de domínio feminino: as mulheres e suas práticas de consolidação de espaços
Breves explicações acerca do grupo feminino que garantiu a consolidação da Comunidade no bairro
Madrinha Tila: revelando cumplicidade e afinidade com Oyá Megué
Tia Luiza: a iabá das articulações e engendramentos políticos em torno de Mãe Biu
Tia Laura: dominando, controlando, comandando os espaços da cozinha de santo do Terreiro de Oyá Megué
Mãe Biu: líder-mãe, mulher-divindade, a consolidadora da nação Xambá no Portão do Gelo
Xangô de Mãe Biu ou Casa Xambá: construindo e reconstruindo identificações africanas

 
Newsletter
Ofertas e promoções exclusivas por e-mail