Annablume Editora
BOX_HEADING_LOGIN_BOX
Seja Bem Vindo(a)!

Faça seu login
Cadastre-se

 
 
 
HomeSite
Busca Rápida
Suas Compras   Meu Carrinho 0 Iten(s):
Fabricantes
Fabricantes
Categorias
Categorias
        -Arquitetura, Urbanismo e Políticas Urbanas
        -Biblioteca Flusseriana
        -Corpo, Sexualidades e Políticas da Multidão
        -Cultura Tecnológica e Redes Digitais
        -Geografia e Temas Socioambientais
        -Sociologia
        -Todas as Coleções
        -Todos os Temas
        Artes
        Outros Temas
        Revistas
Promoção
Especiais mais
A práxis contemporânea da arquitetura e do urbanismo no Brasil:
A práxis contemporânea da arquitetura e do urbanismo no Brasil:
De: R$ 58,00
  Por: R$ 46,40
Economia de R$ 11,60
Veja mais promoções
Novidades
Novidades mais
A práxis contemporânea da arquitetura e do urbanismo no Brasil:
A práxis contemporânea da arquitetura e do urbanismo no Brasil:
R$ 58,00
R$ 46,40
Veja mais novidades
No princípio era o poder
No princípio era o poder
Código do Produto: 14x21
De: R$ 57,00
Por: R$ 42,75
Economia de R$ 14,25
 

No princípio era o poder: uma análise semiótica das paixões no discurso do antigo testamento
Mariza B. T. Mendes
Formato 14x21 cm, 244 páginas
ISBN: 978-85-7419-976-4

O presente livro propõe uma análise do discurso bíblico que se debate entre a força e autoridade do ambiente acadêmico e um misto de medo e ousadia, diante da possibilidade de desvendar os mistérios de um discurso sacralizado em nossa cultura. Mariza Mendes confessa que sentiu-se, nesse percurso intelectual e passional, um sujeito em conflito, modalizado pelo querer fazer e ao mesmo tempo pelo não poder fazer, enfim, um sujeito da transgressão, dominado pelo desejo. O contexto universitário lhe ofereceu as condições de realizar seu desejo, entre medo, a ousadia e a consciência de estar mexendo num “vespeiro”: o texto mais publicado, comentado e polemizado, mas o menos estudado pelos analistas de discurso, o Antigo Testamento. Esse conjunto de narrativas vem influenciando há milênios o modo de ser, de agir e de pensar na cultura judaico-cristã. O que mais a fascina, porém, é estar diante de uma mistura de vários gêneros de discurso – mítico, religioso, jurídico, filosófico, político, literário e, sem dúvida nenhuma diante dos “discursos fundadores” de nossa cultura. Para definir esses discursos, a autora aponta de forma surpreendente para aqueles que nunca leram alguns textos clássicos mas usam expressões criadas por eles: “no sétimo dia descansou”, “não dá para agradar gregos e troianos”, “agora Inês é morta”, “em se plantando tudo se dá”. Seriam esses discursos os que põem ordem na sociedade?

Sumário sintetizado

Apresentação - Maria do Carmo Sampaio Di Creddo

Parte 1 - O texto bíblico como objeto de comunicação: o discurso em enunciação
1. As teorias do discurso e o discurso bíblico
2. Um discurso em eterna enunciação

Parte 2 - O texto bíblico como objeto de significação: o discurso enunciado
3. O discurso enunciado no Antigo Testamento
4. A figuratividade das paixões no discurso do poder
5. A presença feminina no discurso patriarcal

Parte 3 - O Texto bíblico como objeto de crença: o discurso sancionado
6. A crença como sanção positiva do discurso
7. O discurso passional no mito religioso

 
Newsletter
Ofertas e promoções exclusivas por e-mail