Annablume Editora
BOX_HEADING_LOGIN_BOX
Seja Bem Vindo(a)!

Faça seu login
Cadastre-se

 
 
 
HomeSite
Busca Rápida
Suas Compras   Meu Carrinho 0 Iten(s):
Fabricantes
Fabricantes
Categorias
Categorias
        -Arquitetura, Urbanismo e Políticas Urbanas
        -Biblioteca Flusseriana
        -Corpo, Sexualidades e Políticas da Multidão
        -Cultura Tecnológica e Redes Digitais
        -Geografia e Temas Socioambientais
        -Sociologia
        -Todas as Coleções
        -Todos os Temas
        Artes
        Outros Temas
        Revistas
Promoção
Especiais mais
Parce(le)iros da Amazônia: fundamentos institucionais de uma eco
Parce(le)iros da Amazônia: fundamentos institucionais de uma eco
De: R$ 60,00
  Por: R$ 48,00
Economia de R$ 12,00
Veja mais promoções
Novidades
Novidades mais
Parce(le)iros da Amazônia: fundamentos institucionais de uma eco
Parce(le)iros da Amazônia: fundamentos institucionais de uma eco
R$ 60,00
R$ 48,00
Veja mais novidades
O De Excidio Vrbis e outros sermões sobre a queda de Roma
O De Excidio Vrbis e outros sermões sobre a queda de Roma
Código do Produto: 12x19
De: R$ 45,00
Por: R$ 33,75
Economia de R$ 11,25
 
Acessar a Cia. dos Livros

O De Excidio Vrbis e outros sermões sobre a queda de Roma
Santo Agostinho
Tradução do latim, introdução e notas
Carlota Miranda Urbano
Formato 12x19 cm, 176 páginas
ISBN 978-85-64608-32-0

Em agosto de 410, Roma é saqueada pelos godos chefiados por Alarico. A notícia chega rapidamente ao norte de África, trazida por grande número de refugiados. Santo Agostinho, o bispo de Hipona, reage à notícia, ao clima de ansiedade que se respira um pouco por todo o império e também às acusações vindas dos pagãos que responsabilizam o cristianismo pela decadência de Roma.
Nestes sermões que pregou ao longo do ano que se seguiu, Santo Agostinho formula um conjunto de respostas e argumentos, depois devidamente estruturados no De excidio Vrbis Romae sermo. Aqui, pese embora o ‘patriotismo’ romano do bispo africano, diante da evidência de que também as civilizações têm um fim, ‘cai’ o mito da Roma Aeterna e nasce a ideia das duas cidades: a cidade efémera, fundada na terra; e a cidade eterna, fundada na filiação divina do homem. Peregrino naquela, o homem anseia por esta. Podemos, por isso, ler estes sermões agostinianos como a génese da sua obra monumental De ciuitate Dei.  
 
Também compraram este produto
Clientes que compraram este produto, também compraram:
     Obras Morais: como distinguir um adulador de um amigo   Obras Morais: como distinguir um adulador de um amigo
     Obras Morais: o banquete dos sete sábios   Obras Morais: o banquete dos sete sábios
     Vidas Paralelas - Péricles e Fábio Máximo   Vidas Paralelas - Péricles e Fábio Máximo
     Iconografia e semiótica: uma abordagem histórica   Iconografia e semiótica: uma abordagem histórica
     Cultura militar e de violência no mundo antigo   Cultura militar e de violência no mundo antigo
     O imperialismo romano   O imperialismo romano
 
Últimos Produtos Visitados
Arestas do Poder: Antiguidade e Modernidade
Arestas do Poder: Antiguidade e Modernidade
Megaeventos e produção do espaço urbano
Megaeventos e produção do espaço urbano
Medeia
Medeia
O cinema: uma arte sonora
O cinema: uma arte sonora
Os xerente: um enfoque etnoarqueológico
Os xerente: um enfoque etnoarqueológico
Estrangeira: uma paraíba em Nova Iorque
Estrangeira: uma paraíba em Nova Iorque
Aprendizagem social e áreas de proteção ambiental
Aprendizagem social e áreas de proteção ambiental
Newsletter
Ofertas e promoções exclusivas por e-mail