Annablume Editora
BOX_HEADING_LOGIN_BOX
Seja Bem Vindo(a)!

Faça seu login
Cadastre-se

 
 
 
HomeSite
Busca Rápida
Suas Compras   Meu Carrinho 0 Iten(s):
Fabricantes
Fabricantes
Categorias
Categorias
        -Arquitetura, Urbanismo e Políticas Urbanas
        -Biblioteca Flusseriana
        -Corpo, Sexualidades e Políticas da Multidão
        -Cultura Tecnológica e Redes Digitais
          - Atopos
        -Geografia e Temas Socioambientais
        -Sociologia
        -Todas as Coleções
        -Todos os Temas
        Artes
        Outros Temas
        Revistas
Promoção
Especiais mais
Planejamento urbano e regional no Brasil: as ideias, planos e co
Planejamento urbano e regional no Brasil: as ideias, planos e co
De: R$ 60,00
  Por: R$ 60,00
Economia de R$ 0,00
Veja mais promoções
Novidades
Novidades mais
Saul de Vilém Flusser: diálogo e subversão
Saul de Vilém Flusser: diálogo e subversão
R$ 50,00
R$ 50,00
Veja mais novidades
Ciborgues indígen@s.br: a presença nativa no ciberespaço
Ciborgues indígen@s.br: a presença nativa no ciberespaço
Código do Produto: 14x21 cm
De: R$ 62,50
Por: R$ 62,50
Economia de R$ 0,00
 
Acessar a Cia. dos Livros

Ciborgues indígen@s.br: a presença nativa no ciberespaço
Eliete da Silva Pereira
Formato: 14x21 cm, 290 páginas

De toda essa embrulhada o pensamento dele sacou bem clarinha uma luz: Os homens é que eram máquinas e as máquinas é que eram homens. Macunaíma deu uma grande gargalhada.
(Mário de Andrade. Macunaíma. Rio de Janeiro: MEDIAfashion, 2008, p. 44)

Em 1928, Mário de Andrade antecipou na ficção o que se tornou uma realidade concreta no final do século XX, a fusão entre homens e máquinas, a indistinção de ambos. É notável que não sejam mais heróis indígenas imaginários a rirem dessa realidade contemporânea, mas índios reais que se fundem às máquinas para ocupar o
ciberespaço da Internet e aí criarem novas formas de expressão cultural e política.

O registro desta presença indígena no ciberespaço é o que nos apresenta esta obra. Aqui a figura do "ciborgue" expressa para os povos indígenas uma nova condição nativa atravessada por softwares e hardwares, sistemas informativos e fluxos comunicativos. Elementos constituintes de um protagonismo indígena adquirido nas tramas hipertextuais do ciberespaço e que permitem a retomada dos meios de produção de suas próprias etnicidades e subjetividades face aos não-índios.

Este livro interessará a um público amplo e diversificado, precisamente aquele que reconhece nos meios de comunicação digitais um meio para expressar novas formas de expressão cultural e participação política. Torna-se imperativa a compreensão desses fenômenos e os significados que eles aportam para o mundo contemporâneo, não somente pela escala global de comunicação que eles tornam possível, mas pela transformação multilocal das identidades que eles põem em contato, engendrando novos seres reais e hiperreais.
Cristhian Teófilo da Silva
 
Também compraram este produto
Clientes que compraram este produto, também compraram:
     Do autor tradicional ao agenciador cibernético   Do autor tradicional ao agenciador cibernético
     A comunicação das coisas: teoria ator-rede e cibercultura   A comunicação das coisas: teoria ator-rede e cibercultura
     A pele da cultura   A pele da cultura
     Tecno-pedagogia: os games na formação dos nativos digitais   Tecno-pedagogia: os games na formação dos nativos digitais
 
Últimos Produtos Visitados
Os xerente: um enfoque etnoarqueológico
Os xerente: um enfoque etnoarqueológico
Cidadania Ambiental: novos direitos no Brasil
Cidadania Ambiental: novos direitos no Brasil
Meio ambiente e ciências humanas
Meio ambiente e ciências humanas
Um outro mundo antigo
Um outro mundo antigo
Histórias do design no Brasil
Histórias do design no Brasil
Plutarco e as artes
Plutarco e as artes
Newsletter
Ofertas e promoções exclusivas por e-mail