Annablume Editora
BOX_HEADING_LOGIN_BOX
Seja Bem Vindo(a)!

Faça seu login
Cadastre-se

 
 
 
HomeSite
Busca Rápida
Suas Compras   Meu Carrinho 0 Iten(s):
Fabricantes
Fabricantes
Categorias
Categorias
        -Arquitetura, Urbanismo e Políticas Urbanas
        -Biblioteca Flusseriana
        -Corpo, Sexualidades e Políticas da Multidão
        -Cultura Tecnológica e Redes Digitais
        -Geografia e Temas Socioambientais
        -Sociologia
        -Todas as Coleções
        -Todos os Temas
          - Análise do Discurso e Semiótica
          - Antropologia
          - Arqueologia
          - Arquitetura
          - Artes Clássicas e na Antiguidade
          - Artes Contemporâneas
          - Ciência Política
          - Comunicação
          - Crítica Literária
          - Educação
          - Estudos de Corpo
          - Estudos de Gênero
          - Estudos de Religião
          - Filosofia
          - Filosofia Antiga
          - Geografia
          - História
          - História Antiga
          - Meio Ambiente
          - Psicanálise
          - Quadrinhos
          - Redes Digitais
          - Relações Internacionais
          - Sociologia
          - Sociologia do Trabalho
          - Urbanismo
        Artes
        Outros Temas
        Revistas
Promoção
Especiais mais
O planejamento regional brasileiro pós-constituição federal de 1
O planejamento regional brasileiro pós-constituição federal de 1
De: R$ 97,33
  Por: R$ 77,86
Economia de R$ 19,47
Veja mais promoções
Novidades
Novidades mais
O Homem sem chão : a biografia de Vilém Flusser
O Homem sem chão : a biografia de Vilém Flusser
R$ 87,10
R$ 69,68
Veja mais novidades
Não há cura sem anúncio: ciência, medicina e propaganda (São Pau
Não há cura sem anúncio: ciência, medicina e propaganda (São Pau
Código do Produto: 16x23cm
De: R$ 62,40
Por: R$ 62,40
Economia de R$ 0,00
 
Acessar a Cia. dos Livros

Não há cura sem anúncio: ciência, medicina e propaganda (São Paulo,1930-1939)
Gabriel Kenzo Rodrigues
Formato: 16x23cm, 205 páginas
ISBN: 978-85-391-0826-8

A partir das transformações de São Paulo na primeira metade do século XX, Gabriel Kenzo investiga uma esfera pouco explorada na história da ciência: como o modelo científico que se pretende hegemônico opera para se firmar no cotidiano da sociedade, utilizando elementos prosaicos para estabelecer uma comunicação com os seus receptores. Sua análise se dá pelos anúncios farmacêuticos, presentes em grande quantidade nos periódicos da época.
Os anúncios mostram visões daquela sociedade sobre o corpo doente não registradas pelos documentos oficiais – tratados médicos, laudos, diagnósticos, etc. O corpo doente aparece, então, em sua dimensão social: o trabalhador impossibilitado de produzir, o sifilítico que não pode se casar, a mulher que não consegue um marido por conta de questões estéticas, etc. Estes elementos são habilmente manipulados pelas agências publicitárias que, ao buscar aumentar o lucro dos laboratórios contratantes, acabam criando igualmente um espaço de disputa de representações e modelos de cura.
 
 
Últimos Produtos Visitados
Aprendizagem social e áreas de proteção ambiental
Aprendizagem social e áreas de proteção ambiental
Democracia, pós- desenvolvimento e gestão de bens comuns : persp
Democracia, pós- desenvolvimento e gestão de bens comuns : persp
Mobilidade precária na metrópole de São Paulo
Mobilidade precária na metrópole de São Paulo
Patrimônio cultural: memória intervenções urbanas
Patrimônio cultural: memória intervenções urbanas
Trabalho à deriva : privatização e cultura do trabalho no porto
Trabalho à deriva : privatização e cultura do trabalho no porto
Newsletter
Ofertas e promoções exclusivas por e-mail