Annablume Editora
BOX_HEADING_LOGIN_BOX
Seja Bem Vindo(a)!

Faça seu login
Cadastre-se

 
 
 
HomeSite
Busca Rápida
Suas Compras   Meu Carrinho 0 Iten(s):
Fabricantes
Fabricantes
Categorias
Categorias
        -Arquitetura, Urbanismo e Políticas Urbanas
        -Biblioteca Flusseriana
        -Corpo, Sexualidades e Políticas da Multidão
          - Políticas da Multidão
          - Queer
          - Leituras do Corpo
        -Cultura Tecnológica e Redes Digitais
        -Geografia e Temas Socioambientais
        -Sociologia
        -Todas as Coleções
        -Todos os Temas
        Artes
        Outros Temas
        Revistas
Promoção
Especiais mais
Produzir casas ou construir cidades? Desafios para um novo Brasi
Produzir casas ou construir cidades? Desafios para um novo Brasi
De: R$ 88,00
  Por: R$ 88,00
Economia de R$ 0,00
Veja mais promoções
Novidades
Novidades mais
A linguagem se refletindo: introdução à poética de Mallarmé
A linguagem se refletindo: introdução à poética de Mallarmé
R$ 60,00
R$ 60,00
Veja mais novidades
Reduzir-se a nada: articulações entre o masoquismo, o feminino e
Reduzir-se a nada: articulações entre o masoquismo, o feminino e
Código do Produto: 16x23 cm
De: R$ 40,00
Por: R$ 40,00
Economia de R$ 0,00
 
Acessar Um LivroAcessar O Ateneum

Reduzir-se a nada: articulações entre o masoquismo, o feminino e a máscara
Carolina Nassau
Formato: 16x23 cm, 130 páginas
ISBN: 978-85-391-0863-3

“A MULHER NÃO EXISTE”. Máscaras, véus, disfarces, aniquilamento nas tentativas de se localizar na partilha dos sexos, nas tentativas de se fazer reconhecer. São estes mesmos “recursos” frente à falta de representação da mulher, imposta pela lógica fálica, que encontramos na clínica. Recursos engessados, mortíferos que desafiam a escuta e a construção de novas respostas.

Nesta trilha, o livro de Carolina Nassau Ribeiro, leitora rigorosa e atenta, surge como um avanço. Ao localizar “as pedras de espera” do texto freudiano referidas ao enigma do feminino, a autora se apropria dos avanços propostos por Jacques Lacan e nos guia na retomada de três casos da literatura em que se evidenciam posições que superficialmente podem ser descritas como masoquistas.

É, então, a oportunidade de retomar a formulação lógica da tábua da sexuação que aponta para dois modos de gozo – um referido ao falo e, o outro, o gozo do Outro – para esclarecer as posições adotadas pelas personagens, posições que lhes servem por um lado, de “máscara” na vertente do gozo fálico e por outro, da falta de limites de um amor enlouquecido, do lado de S(A), isto é, do gozo do Outro, que se refere ao reduzir-se a nada.

Reduzir-se a nada: articulações entre o masoquismo, o feminino e a máscara se apresenta, assim, como um excelente operador de leitura que ressalta os avanços teóricos que nos devem guiar a praxis.
Lícia Dias
 
Newsletter
Ofertas e promoções exclusivas por e-mail