Annablume Editora
BOX_HEADING_LOGIN_BOX
Seja Bem Vindo(a)!

Faça seu login
Cadastre-se

 
 
 
HomeSite
Busca Rápida
Suas Compras   Meu Carrinho 0 Iten(s):
Fabricantes
Fabricantes
Categorias
Categorias
        -Arquitetura, Urbanismo e Políticas Urbanas
        -Biblioteca Flusseriana
        -Corpo, Sexualidades e Políticas da Multidão
        -Cultura Tecnológica e Redes Digitais
        -Geografia e Temas Socioambientais
        -Sociologia
        -Todas as Coleções
          - Archai
          - Artes Performativas e Filosofia
          - Atopos
          - Cidadania e Meio Ambiente
          - Classica Digitalia Brasil
          - Crítica Contemporânea
          - Filosofia e Linguagem
          - Geografia e Adjacências
          - História e Arqueologia em Movimento
          - Leituras do Corpo
          - Palavra e Conhecimento
          - Políticas da Multidão
          - Queer
          - Sentido e Significação
          - Trabalho e Contemporaneidade
          - Ato Psicanalítico
          - Estudos & Fontes
          - Olhares
        -Todos os Temas
        Artes
        Outros Temas
        Revistas
Promoção
Especiais mais
A tradição dialética na obra de Hector Benoit: diálogos e testem
A tradição dialética na obra de Hector Benoit: diálogos e testem
De: R$ 51,00
  Por: R$ 40,80
Economia de R$ 10,20
Veja mais promoções
Novidades
Novidades mais
Novas antropologias
Novas antropologias
R$ 62,50
R$ 50,00
Veja mais novidades
Pós-Humanismo ou a lógica cultural do neocapitalismo global
Pós-Humanismo ou a lógica cultural do neocapitalismo global
Código do Produto: 14x21 cm
De: R$ 45,00
Por: R$ 36,00
Economia de R$ 9,00
 
Acessar a Cia. dos Livros

Pós-Humanismo ou a lógica cultural do neocapitalismo global
Frédéric Vandenberghe
Formato: 14x21 cm, 180 páginas
ISBN: 978-85-391-0734-6

Pós-humanismo, ou a lógica cultural do capitalismo global, escrito originalmente em 2001, analisa a globalização como a convergência de três revoluções em uma. Desde então, a sinergia entre as revoluções neoliberal, cibernética e biotecnológica se tornou ainda mais poderosa. Com o foco na biotecnologia, o ensaio oferece uma crítica virulenta do neo-vitalismo tecnológico, quer dizer de todas as teorias futuristas e tecnocapitalistas de obediência nietzschiana, deleuziana e latouriana que buscam a superar a nossa humanitude e preconizam a hibridização artificial da natureza (natural, animal e humana).

O livro apresenta uma atualização das teorias da reificação na era da reprodução tecnologicamente ampliada. Com efeito, o texto constitui a última contribuição de Vandenberghe para a ciência melancólica. “Desde então, andei procurando por uma saída – indissociavelmente teórica, social e pessoal. Não sei se por efeito de uma mudança de país, mas o fato é que minha transição da hipercrítica (Escola de Frankfurt, Bourdieu, Foucault) para a reconstrução coincide mais ou menos com minha chegada ao Brasil”.

No epílogo, ele faz uma retrospectiva do caminho e propõe a teoria reconstrutiva como uma alternativa da, e uma alternativa à, teoria crítica. “Em tempos sombrios, precisamos de uma perspectiva que supere a negação da dialética em uma síntese positiva que prepara para o pior,porém almejando o melhor.”

Frédéric Vandenberghe é professor do IESP-UERJ e coordenador do Sociofilo. Faz parte de três clubes: a família habermasiana, o realismo crítico e o Movimento Anti-Utilitarista em Ciências Sociais. É autor de Uma história filosófica da sociologia alemã (três volumes), As sociologias de Georg Simmel e a Teoria Social Realista, entre outros livros.
 
Newsletter
Ofertas e promoções exclusivas por e-mail