Annablume Editora
BOX_HEADING_LOGIN_BOX
Seja Bem Vindo(a)!

Faça seu login
Cadastre-se

 
 
 
HomeSite
Busca Rápida
Suas Compras   Meu Carrinho 0 Iten(s):
Fabricantes
Fabricantes
Categorias
Categorias
        -Arquitetura, Urbanismo e Políticas Urbanas
        -Biblioteca Flusseriana
        -Corpo, Sexualidades e Políticas da Multidão
        -Cultura Tecnológica e Redes Digitais
        -Geografia e Temas Socioambientais
        -Sociologia
        -Todas as Coleções
        -Todos os Temas
        Artes
        Outros Temas
        Revistas
Promoção
Especiais mais
Religião e política:ideologias, articulações e estratégias da ba
Religião e política:ideologias, articulações e estratégias da ba
De: R$ 70,00
  Por: R$ 70,00
Economia de R$ 0,00
Veja mais promoções
Novidades
Novidades mais
Pela metade: a lei de drogas do Brasil
Pela metade: a lei de drogas do Brasil
R$ 70,00
R$ 70,00
Veja mais novidades
Nem tudo era italiano: SP e pobreza (1890/1915) - 4a ed.
Nem tudo era italiano: SP e pobreza (1890/1915) - 4a ed.
Código do Produto: 11,5x20cm
De: R$ 40,00
Por: R$ 40,00
Economia de R$ 0,00
 
Acessar Um LivroAcessar O Ateneum

Nem tudo era italiano - São Paulo e pobreza (1890-1915)
Carlos José Ferreira
Quarta edição
Formato 11,5x20cm, 196 páginas
ISBN:978-85-391-0860-2

Apresentação Heloísa de Faria Cruz

Em meio a discursos, códigos de postura, representações e imagens que projetavam São Paulo como a metrópole que mais crescia no Brasil, síntese do progresso e do desenvolvimento de uma cultura urbano-fabril, Carlos José construiu tabelas e quadros estatísticos a partir de relatórios governamentais, censos demográficos e estudos sobre a população de São Paulo entre os anos 1890 e 1915, trazendo à tona proporções de seus habitantes que então viviam, trabalhavam e experimentavam a pobreza, a exclusão e o reverso daquela metropolização. Pelo minucioso e criterioso cruzamento desses dados com fotografias, crônicas e reminiscências sobre os viveres na cidade símbolo do trabalho organizado, qualificou seus quadros estatísticos, reconstituindo territórios esquecidos, práticas de sobrevivência e de confrontos culturais, pluralizando as experiências que sustentavam as metáforas do progresso quando “nem tudo era italiano”, prosperidade e coesão.
 
Também compraram este produto
Clientes que compraram este produto, também compraram:
     Nouvelle Histoire e o tempo histórico: Febvre, Bloch e Braudel   Nouvelle Histoire e o tempo histórico: Febvre, Bloch e Braudel
     Educação ambiental na escola pública   Educação ambiental na escola pública
     Sambas, batuques, vozerias e farsas públicas: PE, séc. XIX   Sambas, batuques, vozerias e farsas públicas: PE, séc. XIX
     Brasil Central: 12.000 anos de ocupação humana no rio Tocantins   Brasil Central: 12.000 anos de ocupação humana no rio Tocantins
 
Últimos Produtos Visitados
Território na geografia de Milton Santos
Território na geografia de Milton Santos
Bases da formação territorial do Brasil
Bases da formação territorial do Brasil
Newsletter
Ofertas e promoções exclusivas por e-mail