Annablume Editora
BOX_HEADING_LOGIN_BOX
Seja Bem Vindo(a)!

Faça seu login
Cadastre-se

 
 
 
HomeSite
Busca Rápida
Suas Compras   Meu Carrinho 2 Iten(s):
Fabricantes
Fabricantes
Categorias
Categorias
        -Arquitetura, Urbanismo e Políticas Urbanas
        -Biblioteca Flusseriana
        -Corpo, Sexualidades e Políticas da Multidão
        -Cultura Tecnológica e Redes Digitais
        -Geografia e Temas Socioambientais
        -Sociologia
        -Todas as Coleções
        -Todos os Temas
        Artes
        Outros Temas
        Revistas
Promoção
Especiais mais
Pela metade: a lei de drogas do Brasil
Pela metade: a lei de drogas do Brasil
De: R$ 70,00
  Por: R$ 70,00
Economia de R$ 0,00
Veja mais promoções
Novidades
Novidades mais
A formação regional do Mucuri: o homem, o rio e a mata no nordes
A formação regional do Mucuri: o homem, o rio e a mata no nordes
R$ 80,00
R$ 80,00
Veja mais novidades
Códigos e Práticas: processo urbano em Vila Rica 1702/48
Códigos e Práticas: processo urbano em Vila Rica 1702/48
Código do Produto: 11,5x20
De: R$ 46,00
Por: R$ 46,00
Economia de R$ 0,00
 
Acessar a Cia. dos Livros

Códigos e práticas: o processo de constituição urbana em Vila Rica colonial (1702-1748)
Maria Aparecida de Menezes Borrego
Formato 11,5x20cm, 190 páginas
ISBN: 85-7419-402-6

"Neste livro, Maria Aparecida de Menezes Borrego ajuda a entender melhor a urbanização peculiar das Minas. Ancorada na documentação muitas vezes maçante da Câmara de Vila Rica – editais, bandos, portarias, petições, arrematações, despachos, correspondência oficial –, analisa o surgimento do núcleo urbano à luz do processo de formação da capitania, vendo seu espaço como expressão do universo mental que lhe conduzia as ações, com lógica própria, organicidade e adaptação harmônica à paisagem circundante. O caráter oficial dos documentos obriga a ler nas entrelinhas mas não impede, conforme mostra a autora, que se des-nudem tanto as exigências das instâncias de poder como as resistências da população frente a elas. No marco cronológico compreendido entre 1702 – quando o Regimento dos superintendentes, guarda-mores e oficiais deputados para as Minas do Ouro regulamenta a distribuição de terras – e 1748, quando, sob o governo de Gomes Freire de Andrada, se constrói o palácio dos governadores, a autora estuda o parcelamento territorial, as tensões entre grupos e o diálogo entre códigos e práticas, mostrando que a letra escrita ganha sentido quando confrontada com os procedimentos do dia-a-dia."

Da apresentação de Laura de Mello e Souza

 
Também compraram este produto
Clientes que compraram este produto, também compraram:
     Arquitetura do Oriente Médio ao Ocidente   Arquitetura do Oriente Médio ao Ocidente
     Corpos escravos, vontades livres: posse e família escrava   Corpos escravos, vontades livres: posse e família escrava
     Tropas em marcha: mercado de animais no Brasil Imperial   Tropas em marcha: mercado de animais no Brasil Imperial
     O mundo das feras: moradores do sertão oeste de MG séc. XVIII   O mundo das feras: moradores do sertão oeste de MG séc. XVIII
     Padrões das alforrias em um município cafeiro em expansão   Padrões das alforrias em um município cafeiro em expansão
     Um iluminismo português? A reforma da Univ. de Coimbra 1772   Um iluminismo português? A reforma da Univ. de Coimbra 1772
 
Últimos Produtos Visitados
Viver por um fio: pobreza e política social
Viver por um fio: pobreza e política social
Na trama das identidades : práticas sociais e imagens do trabalh
Na trama das identidades : práticas sociais e imagens do trabalh
Arquitetura do Oriente Médio ao Ocidente
Arquitetura do Oriente Médio ao Ocidente
Uma história filosófica da sociologia alemã: alienação e reifica
Uma história filosófica da sociologia alemã: alienação e reifica
Servos de Deus: monasticismo, poder e ortodoxia em Sto Agostinho
Servos de Deus: monasticismo, poder e ortodoxia em Sto Agostinho
O imaterial: conhecimento, valor e capital - 2ª edição
O imaterial: conhecimento, valor e capital - 2ª edição
O corpo em crise
O corpo em crise
Pós-Humanismo ou a lógica cultural do neocapitalismo global
Pós-Humanismo ou a lógica cultural do neocapitalismo global
Newsletter
Ofertas e promoções exclusivas por e-mail