Annablume Editora
BOX_HEADING_LOGIN_BOX
Seja Bem Vindo(a)!

Faça seu login
Cadastre-se

 
 
 
HomeSite
Busca Rápida
Suas Compras   Meu Carrinho 0 Iten(s):
Fabricantes
Fabricantes
Categorias
Categorias
        -Arquitetura, Urbanismo e Políticas Urbanas
        -Biblioteca Flusseriana
        -Corpo, Sexualidades e Políticas da Multidão
        -Cultura Tecnológica e Redes Digitais
        -Geografia e Temas Socioambientais
        -Sociologia
        -Todas as Coleções
        -Todos os Temas
        Artes
        Outros Temas
        Revistas
Promoção
Especiais mais
Cantinhos do céu
Cantinhos do céu
De: R$ 60,00
  Por: R$ 48,00
Economia de R$ 12,00
Veja mais promoções
Novidades
Novidades mais
O feminismo é feminino? A inexistência da Mulher e a subversão d
O feminismo é feminino? A inexistência da Mulher e a subversão d
R$ 55,00
R$ 44,00
Veja mais novidades
Homens anfíbios - etnografia de um campesinato das águas
Homens anfíbios - etnografia de um campesinato das águas
Código do Produto: 14x21
R$ 47,00
 

Homens anfíbios - Etnografia de um campesinato das águas
Therezinha de Jesus Pinto Fraxe
2º ed., Formato 14x21cm, 224 páginas
ISBN 978-85-391-0294-5

Homens anfíbios apresenta um complexo quadro da reprodução social de um grupo doméstico camponês que tem como marca uma perfeita adequação do homem com a natureza, sem que sejam eliminadas as dificuldades de sobrevivência e a rudeza do cotidiano camponês. O caboclo ribeirinho, que vive às margens do rio Amazonas, convive com uma terra que fica submersa por quatro a cinco meses todo ano. A reprodução da sua unidade familiar, neste sentido, depende de um rio, de uma “terra molhada” (várzea), e de uma “terra firme”, espaços que se misturam, criando uma linha quase imaginária entre as superfícies terrestre e aquática.
Neste livro, as estratégias de sobrevivência do caboclo ribeirinho tornam-se complexas, passando por trabalhos de “ajuda mútua”, “acessório” ou assalariado. Os homens anfíbios conseguem não só retirar os meios de sobrevivência necessários, mesmo que escassos, da terra e da água, como também constroem uma rede de relações sociais de troca e de complementaridade no “mundo do trabalho”.
Ao fugir dos modismos presos a uma má utilização de conceitos como identidade e representação, a autora nos põe em contato direto com a identidade do caboclo ribeirinho com seus códigos sociais específicos. Se os homens anfíbios estão perfeitamente equilibrados e harmônicos no ecossistema amazônico (aquático e terrestre), eles aparecem como se estivessem “fora d’ água” na lógica e na racionalidade capitalista.

 
Também compraram este produto
Clientes que compraram este produto, também compraram:
     A natureza da mídia: os discursos da TV sobre a Amazônia   A natureza da mídia: os discursos da TV sobre a Amazônia
     Ciência e tecnologia: o caso do LBA na Amazônia   Ciência e tecnologia: o caso do LBA na Amazônia
     O governo das conquistas do Norte   O governo das conquistas do Norte
     O desvendar do grande livro da natureza: José Vieira Couto   O desvendar do grande livro da natureza: José Vieira Couto
Newsletter
Ofertas e promoções exclusivas por e-mail