Annablume Editora
BOX_HEADING_LOGIN_BOX
Seja Bem Vindo(a)!

Faça seu login
Cadastre-se

 
 
 
HomeSite
Busca Rápida
Suas Compras   Meu Carrinho 3 Iten(s):
Fabricantes
Fabricantes
Categorias
Categorias
        -Arquitetura, Urbanismo e Políticas Urbanas
        -Biblioteca Flusseriana
        -Corpo, Sexualidades e Políticas da Multidão
        -Cultura Tecnológica e Redes Digitais
        -Geografia e Temas Socioambientais
        -Sociologia
        -Todas as Coleções
        -Todos os Temas
        Artes
        Outros Temas
        Revistas
Promoção
Especiais mais
Racismo e sindicalismo: reconhecimento, redistribuição e ação po
Racismo e sindicalismo: reconhecimento, redistribuição e ação po
De: R$ 73,80
  Por: R$ 59,04
Economia de R$ 14,76
Veja mais promoções
Novidades
Novidades mais
As classes sociais no início do século XXI/
As classes sociais no início do século XXI/
R$ 62,10
R$ 49,68
Veja mais novidades
Monteiro Lobato e a presença francesa em A barca de Gleyre
Monteiro Lobato e a presença francesa em A barca de Gleyre
Código do Produto: 11,5x20
De: R$ 43,00
Por: R$ 32,25
Economia de R$ 10,75
 

Monteiro Lobato e a presença francesa em "A barca de Gleyre"
Ana Luiza Reis Bedê
Formato 11,5x20cm, 175 páginas
ISBN 978-85-7419-697-8

Nos últimos anos, a obras sobre a produção de Monteiro Lobato vem proporcionando uma revisão em sua fortuna crítica. É nesta linha que Ana Luiza Bedê apresenta a relação do escritor e crítico com a cultura francesa, a partir das cartas endereçadas a Godofredo Rangel e reunidas em A barca de Gleyre. Expressões como "sarna gálica" ou "francesismo", presentes em sua obra, já deram ao autor de Cidades mortas o adjetivo de "anti-galicista". Neste livro, a autora faz uma análise detalhada da correspondência entre Lobato e Rangel para mostrar que os desabafos de Monteiro Lobato "contra" a França tinham na verdade um outro alvo.

Sumário sintetizado

Apresentação Gilberto Pinheiro Passos

Capítulo 1 O papel da correspondência com Godofredo Rangel no pensamento estético-literário de Monteiro Lobato
Correspondência literária
Uma vida rara e cara
Formação da consciência artística
Espaço de experimentação

Capítulo 2 Monteiro Lobato e a cultura francesa
Colônia cultural
O "prisma francês" em Lobato
Um "modelo francês" da época: o naturalismo
Qual era o naturalismo de Lobato?
A "Belle Époque" brasileira
Reação à presença nefasta da França

Capítulo 3 Lobato, um "crítico" de literatura
O "magister" do cenáculo
Autores tutelares
Ser núcleo de cometa e não cauda

Capítulo 4 Afinidade eletiva: o caso de Maupassant
Recepção de Maupassant no exterior
Opção pelo conto
Composição
O olhar da natureza na obra de Maupassant

Considerações finais Um moderno aberto a todos os ventos

 
 
Últimos Produtos Visitados
Estações de passagem da ficção de Lima Barreto
Estações de passagem da ficção de Lima Barreto
A voluptuosidade do nada: niilismo e galhofa em Machado de Assis
A voluptuosidade do nada: niilismo e galhofa em Machado de Assis
A Metaficção Historiográfica no Romance a Filha do Escritor
A Metaficção Historiográfica no Romance a Filha do Escritor
Poética de Os Sertões
Poética de Os Sertões
Newsletter
Ofertas e promoções exclusivas por e-mail