Annablume Editora
BOX_HEADING_LOGIN_BOX
Seja Bem Vindo(a)!

Faça seu login
Cadastre-se

 
 
 
HomeSite
Busca Rápida
Suas Compras   Meu Carrinho 0 Iten(s):
Fabricantes
Fabricantes
Categorias
Categorias
        -Arquitetura, Urbanismo e Políticas Urbanas
        -Biblioteca Flusseriana
        -Corpo, Sexualidades e Políticas da Multidão
        -Cultura Tecnológica e Redes Digitais
        -Geografia e Temas Socioambientais
        -Sociologia
        -Todas as Coleções
        -Todos os Temas
        Artes
        Outros Temas
        Revistas
Promoção
Especiais mais
Forró no asfalto: mercado e identidade sociocultural – 2ª edição
Forró no asfalto: mercado e identidade sociocultural – 2ª edição
De: R$ 50,00
  Por: R$ 50,00
Economia de R$ 0,00
Veja mais promoções
Novidades
Novidades mais
Dicionário temático desenvolvimento e questão social: 110 proble
Dicionário temático desenvolvimento e questão social: 110 proble
R$ 130,00
R$ 130,00
Veja mais novidades
Paradigma do caos ou cidade da conversão? SP e Morgado de Mateus
Paradigma do caos ou cidade da conversão? SP e Morgado de Mateus
Código do Produto: 16x23
De: R$ 69,00
Por: R$ 69,00
Economia de R$ 0,00
 

Paradigma do caos ou cidade da conversão? São Paulo na administração do Morgado de Mateus (1765-1775)
Amilcar Torrão Filho
Formato 16x23cm, 292 páginas
ISBN 978-85-7419-757-9

São os dois principais objetivos deste trabalho. Apresentar uma revisão da historiografia da cidade colonial portuguesa e rever alguns pontos desta historiografia a partir de uma análise da cidade de São Paulo no período de governo do morgado de Mateus, entre 1765 e 1775. A historiografia sobre São Paulo é marcada por algumas tópicos que insistentemente se repetem: a pobreza da vila, depois cidade, a dispersão da população, o bandeirismo, o isolamento e a inexistência de um planejamento, ou melhor, de uma racionalidade urbana na política colonial portuguesa, a “espontaneidade” na formação da cidade. Historiadores marcados pelo paradigma da ordem tendem a ver a São Paulo colonial sempre em termos da metrópole que ela se tornou posteriormente, de maneira teleológica e anacrônica, o que reforça os estereótipos da “vila medíocre”, miserável e sem importância.

Amílcar Torrão Filho mostra que a cidade também é importante como braço administrativo e controlador da metrópole, além de importante centro comercial e político, bem como um espaço de experimentação legislativa e administrativa.

Sumário sintetizado

Apresentação: Stella Bresciani

Introdução: São Paulo, cidade peregrina

Capítulo 1 São Paulo: cidade ausente
Percursos de uma interpretação
Os frutos da interpretação
Moldagens e caminhos

Capítulo 2 São Paulo: cidade vazia
O mandato lusitano
Tópicas de São Paulo: o vazio, o isolamento, a pobreza, a desordem
A cidade da conversão

Capítulo 3 São Paulo: cidade sem emenda
Século XVIII: decadência ou renascimento?
As câmaras coloniais
No princípio era o caos
Os lugares da cidade

Capítulo 4 São Paulo: cidade sem povo
A capitania restaurada
O governo pombalino: o exercício de uma ilustração católica
Um governador ilustrado
São Paulo como palco de poder

Capítulo 5 Pelos labirintos

 
Também compraram este produto
Clientes que compraram este produto, também compraram:
     A modernidade em construção: MPB em Curitiba - 1971/83   A modernidade em construção: MPB em Curitiba - 1971/83
     Bases da formação territorial do Brasil   Bases da formação territorial do Brasil
     Bossa Nova e crítica   Bossa Nova e crítica
     O lado B   O lado B
     Tuxá - índios do Nordeste   Tuxá - índios do Nordeste
     Não vá se perder por aí   Não vá se perder por aí
 
Últimos Produtos Visitados
Padrões das alforrias em um município cafeiro em expansão
Padrões das alforrias em um município cafeiro em expansão
Newsletter
Ofertas e promoções exclusivas por e-mail