Annablume Editora
BOX_HEADING_LOGIN_BOX
Seja Bem Vindo(a)!

Faça seu login
Cadastre-se

 
 
 
HomeSite
Busca Rápida
Suas Compras   Meu Carrinho 0 Iten(s):
Fabricantes
Fabricantes
Categorias
Categorias
        -Arquitetura, Urbanismo e Políticas Urbanas
        -Biblioteca Flusseriana
        -Corpo, Sexualidades e Políticas da Multidão
        -Cultura Tecnológica e Redes Digitais
        -Geografia e Temas Socioambientais
        -Sociologia
          - -Annablume Literária
          - Crítica Contemporânea
          - Trabalho e Contemporaneidade
        -Todas as Coleções
        -Todos os Temas
        Artes
        Outros Temas
        Revistas
Promoção
Especiais mais
Saul de Vilém Flusser: diálogo e subversão
Saul de Vilém Flusser: diálogo e subversão
De: R$ 50,00
  Por: R$ 40,00
Economia de R$ 10,00
Veja mais promoções
Novidades
Novidades mais
A formação regional do Mucuri: o homem, o rio e a mata no nordes
A formação regional do Mucuri: o homem, o rio e a mata no nordes
R$ 80,00
R$ 64,00
Veja mais novidades
Jovens na transição escola-trabalho
Jovens na transição escola-trabalho
Código do Produto: 14x21
De: R$ 57,00
Por: R$ 42,75
Economia de R$ 14,25
 
Acessar a Cia. dos Livros

Jovens na transição escola-trabalho
Gisela Lobo Baptista Pereira Tartuce
Formato 14x21 cm, 266 páginas
ISBN 978-85-391-0170-2

Em certas ruas do centro de São Paulo, ou numa reconhecida agência de estágios, logo pela manhã as filas são longas: são jovens procurando algum tipo de trabalho. Várias análises sobre o mercado de trabalho discorrem sobre o contexto da crescente demanda por mais escolaridade, simultânea à decrescente capacidade de o mercado absorver parcela substancial da população ativa, especialmente de jovens. Poucos estudos, porém, indagam os próprios jovens sobre esse processo.
Este livro busca compreender como jovens (entre 16 e 18 anos) na metrópole paulistana representam e vivenciam a transição entre escola e trabalho e os processos de qualificação pelos quais passam ou passaram. A análise permitiu chegar a sete configurações discursivas contrastantes, cuja discussão ilustra a pluralidade de sentidos e de experiências da transição. Apesar dessa pluralidade, e embora a família – seja a de origem ou a constituída – ocupe um lugar central, a transição da escola ao trabalho aparece nos discursos inserida no processo maior, tenso, de transição à vida adulta, de construção de qualificação e de identidade, de anseio por reconhecimento. A qualificação é percebida como sinônimo de estudo formal, associado principalmente ao ensino superior: para os entrevistados, é como se só houvesse efetiva passagem da escola ao trabalho quando se chega à faculdade, evidenciando o peso do ensino superior como provedor de maior integração com o mundo do trabalho – e com a vida adulta.

 
Newsletter
Ofertas e promoções exclusivas por e-mail