Annablume Editora
BOX_HEADING_LOGIN_BOX
Seja Bem Vindo(a)!

Faça seu login
Cadastre-se

 
 
 
HomeSite
Busca Rápida
Suas Compras   Meu Carrinho 3 Iten(s):
Fabricantes
Fabricantes
Categorias
Categorias
        -Arquitetura, Urbanismo e Políticas Urbanas
        -Biblioteca Flusseriana
        -Corpo, Sexualidades e Políticas da Multidão
        -Cultura Tecnológica e Redes Digitais
        -Geografia e Temas Socioambientais
        -Sociologia
        -Todas as Coleções
        -Todos os Temas
        Artes
        Outros Temas
        Revistas
Promoção
Especiais mais
Produzir casas ou construir cidades? Desafios para um novo Brasi
Produzir casas ou construir cidades? Desafios para um novo Brasi
De: R$ 88,00
  Por: R$ 88,00
Economia de R$ 0,00
Veja mais promoções
Novidades
Novidades mais
Ventos que sacodem Marx: sobre colonialismo, nacionalismo e raci
Ventos que sacodem Marx: sobre colonialismo, nacionalismo e raci
R$ 70,00
R$ 70,00
Veja mais novidades
E Canudos era a Vendéia
E Canudos era a Vendéia
Código do Produto: 16X23
De: R$ 83,00
Por: R$ 83,00
Economia de R$ 0,00
 

E Canudos era a Vendéia - O imaginário da Revolução Francesa na construção da narrativa da Os Sertões"
Raimundo Nonato Pereira Moreira
Formato 16X23cm, 392 páginas
ISBN 978-85-391-0029-3

E Canudos era a Vendéia... discute os influxos do imaginário da Revolução Francesa no processo de construção da narrativa de Os Sertões. Este livro apresenta cinco momentos principais. Inicialmente, abordam-se aspectos considerados relevantes acerca da vida e da obra de Euclides da Cunha. Em seguida, analisa-se a presença da Revolução Francesa na obra euclidiana, argumentando-se que esse processo se constituiu no conjunto de acontecimentos históricos mais relevante no quadro das referências teóricas do escritor. No terceiro seguimento, discute-se a construção da narrativa euclidiana da Guerra de Canudos, mediante uma hipótese que postula a existência de três momentos desse processo, ou seja: antes do contato de Euclides com o conflito; durante a presença do correspondente na Bahia; e após o desfecho do conflito, materializado nas páginas do livro vingador. No último capítulo, problematiza-se a ontologia discursiva de Os Sertões, recorrendo-se às categorias de historicidade, ficcionalidade e literariedade, presentes na composição da narrativa euclidiana, destacando-se, ainda, as contribuições do romance Quatrevingt-treize, deVictor Hugo, para o consórcio da ciência e da arte intentado por Euclides. Finalmente, reitera-se que a análise da construção da obra evidenciou um processo complexo, no qual o escritor caboclo se valeu tanto de relatos históricos quanto de narrações imaginárias, para comunicar aos futuros historiadores o seu juízo sobre a Guerra de Canudos.

 
 
Últimos Produtos Visitados
A CIDADE TERMAL: CIENCIAS DAS AGUAS E SOCIABILIDADE MODERNA ENTR
A CIDADE TERMAL: CIENCIAS DAS AGUAS E SOCIABILIDADE MODERNA ENTR
JK desperta BH (1940 – 1945)
JK desperta BH (1940 – 1945)
Território e história no Brasil
Território e história no Brasil
Newsletter
Ofertas e promoções exclusivas por e-mail