Annablume Editora
BOX_HEADING_LOGIN_BOX
Seja Bem Vindo(a)!

Faça seu login
Cadastre-se

 
 
 
HomeSite
Busca Rápida
Suas Compras   Meu Carrinho 2 Iten(s):
Fabricantes
Fabricantes
Categorias
Categorias
        -Arquitetura, Urbanismo e Políticas Urbanas
        -Biblioteca Flusseriana
        -Corpo, Sexualidades e Políticas da Multidão
        -Cultura Tecnológica e Redes Digitais
        -Geografia e Temas Socioambientais
        -Sociologia
        -Todas as Coleções
        -Todos os Temas
        Artes
        Outros Temas
        Revistas
Promoção
Especiais mais
A cidade de Goiás como patrimônio cultural mundial: descompassos
A cidade de Goiás como patrimônio cultural mundial: descompassos
De: R$ 70,00
  Por: R$ 56,00
Economia de R$ 14,00
Veja mais promoções
Novidades
Novidades mais
A psicanálise em Israel: sobre as origens do movimento freudiano
A psicanálise em Israel: sobre as origens do movimento freudiano
R$ 95,00
R$ 76,00
Veja mais novidades
O De Excidio Vrbis e outros sermões sobre a queda de Roma
O De Excidio Vrbis e outros sermões sobre a queda de Roma
Código do Produto: 12x19
De: R$ 45,00
Por: R$ 33,75
Economia de R$ 11,25
 
Acessar a Cia. dos Livros

O De Excidio Vrbis e outros sermões sobre a queda de Roma
Santo Agostinho
Tradução do latim, introdução e notas
Carlota Miranda Urbano
Formato 12x19 cm, 176 páginas
ISBN 978-85-64608-32-0

Em agosto de 410, Roma é saqueada pelos godos chefiados por Alarico. A notícia chega rapidamente ao norte de África, trazida por grande número de refugiados. Santo Agostinho, o bispo de Hipona, reage à notícia, ao clima de ansiedade que se respira um pouco por todo o império e também às acusações vindas dos pagãos que responsabilizam o cristianismo pela decadência de Roma.
Nestes sermões que pregou ao longo do ano que se seguiu, Santo Agostinho formula um conjunto de respostas e argumentos, depois devidamente estruturados no De excidio Vrbis Romae sermo. Aqui, pese embora o ‘patriotismo’ romano do bispo africano, diante da evidência de que também as civilizações têm um fim, ‘cai’ o mito da Roma Aeterna e nasce a ideia das duas cidades: a cidade efémera, fundada na terra; e a cidade eterna, fundada na filiação divina do homem. Peregrino naquela, o homem anseia por esta. Podemos, por isso, ler estes sermões agostinianos como a génese da sua obra monumental De ciuitate Dei.  
 
Também compraram este produto
Clientes que compraram este produto, também compraram:
     Obras Morais: como distinguir um adulador de um amigo   Obras Morais: como distinguir um adulador de um amigo
     Obras Morais: o banquete dos sete sábios   Obras Morais: o banquete dos sete sábios
     Vidas Paralelas - Péricles e Fábio Máximo   Vidas Paralelas - Péricles e Fábio Máximo
     Memoráveis   Memoráveis
     História antiga e usos do passado   História antiga e usos do passado
     Iconografia e semiótica: uma abordagem histórica   Iconografia e semiótica: uma abordagem histórica
 
Últimos Produtos Visitados
Risco como estética, corpo como espetáculo
Risco como estética, corpo como espetáculo
Caminhos de uma ciência ambiental
Caminhos de uma ciência ambiental
Conflitos do imaginário: crenças afro-brasileiras (SP 1890/1920)
Conflitos do imaginário: crenças afro-brasileiras (SP 1890/1920)
O planejamento regional brasileiro pós-constituição federal de 1
O planejamento regional brasileiro pós-constituição federal de 1
Os dilemas do humano: reinventando o corpo, era (bio)tecnológica
Os dilemas do humano: reinventando o corpo, era (bio)tecnológica
Newsletter
Ofertas e promoções exclusivas por e-mail