Annablume Editora
BOX_HEADING_LOGIN_BOX
Seja Bem Vindo(a)!

Faça seu login
Cadastre-se

 
 
 
HomeSite
Busca Rápida
Suas Compras   Meu Carrinho 1 Iten(s):
Fabricantes
Fabricantes
Categorias
Categorias
        -Arquitetura, Urbanismo e Políticas Urbanas
        -Biblioteca Flusseriana
        -Corpo, Sexualidades e Políticas da Multidão
        -Cultura Tecnológica e Redes Digitais
        -Geografia e Temas Socioambientais
        -Sociologia
        -Todas as Coleções
        -Todos os Temas
          - Análise do Discurso e Semiótica
          - Antropologia
          - Arqueologia
          - Arquitetura
          - Artes Clássicas e na Antiguidade
          - Artes Contemporâneas
          - Ciência Política
          - Comunicação
          - Crítica Literária
          - Educação
          - Estudos de Corpo
          - Estudos de Gênero
          - Estudos de Religião
          - Filosofia
          - Filosofia Antiga
          - Geografia
          - História
          - História Antiga
          - Meio Ambiente
          - Psicanálise
          - Quadrinhos
          - Redes Digitais
          - Relações Internacionais
          - Sociologia
          - Sociologia do Trabalho
          - Urbanismo
        Artes
        Outros Temas
        Revistas
Promoção
Especiais mais
Religião e política:ideologias, articulações e estratégias da ba
Religião e política:ideologias, articulações e estratégias da ba
De: R$ 70,00
  Por: R$ 70,00
Economia de R$ 0,00
Veja mais promoções
Novidades
Novidades mais
Guia dos lugares difíceis de São Paulo
Guia dos lugares difíceis de São Paulo
R$ 60,00
R$ 60,00
Veja mais novidades
O Poder Pelo Avesso na Literatura Brasileira
O Poder Pelo Avesso na Literatura Brasileira
Código do Produto: 14x21
De: R$ 62,00
Por: R$ 62,00
Economia de R$ 0,00
 

O Poder Pelo Avesso na Literatura Brasileira
Jean Pierre Chauvin
Formato 14x21 cm, 236 páginas
ISBN 978-85-391-0602-8


O que Manuel Antônio de Almeida, Joaquim Maria Machado de Assis e Afonso Henriques de Lima Barreto têm em comum? Essa parece ser a pergunta que motiva o estudo de Jean Pierre Chauvin dada a público, pela primeira vez, neste livro. Ao concentrar-se na análise sobre as Memórias de um sargento de milícias (1855), O Alienista (1881) e Vida e morte de M. J. Gonzaga de Sá (1919), o autor sugere diálogos entre a literatura, a sociedade e a história, que favorecem a interpretação das obras pela ótica da construção e manutenção do poder pessoal, este mal equilibrado por entre os desvãos que embalam os privilégios e desmandos em nossa esfera pública. Longe de propor uma classificação dos autores e obras, usualmente afixados em movimentos ou escolas literárias, o ensaio preocupa-se em mostrar que a ficção – colada a alguns eventos de nossa história –, diz muito sobre o caráter artificial e oco de determinados discursos, quase sempre entoados pelo viés reducionista do personalismo, na reafirmação de favores e desmandos. Porventura decorra daí a força das personagens postas em exame: a malandragem de Leonardo; a ciência algo dogmática de Simão Bacamarte; a sabedoria de Gonzaga de Sá, calcada na ética, na doçura e na experiência.
 
 
Últimos Produtos Visitados
Redes técnicas e serviços ambientais
Redes técnicas e serviços ambientais
Fragmentos florestais no Pontal do Paranapanema
Fragmentos florestais no Pontal do Paranapanema
Treinadores de sentido: notas etnográficas sobre as atividades m
Treinadores de sentido: notas etnográficas sobre as atividades m
A ordem social como problema psíquico: do existencialismo sociol
A ordem social como problema psíquico: do existencialismo sociol
Racismo e sindicalismo: reconhecimento, redistribuição e ação po
Racismo e sindicalismo: reconhecimento, redistribuição e ação po
Corpo inciso, vazado, transmudado
Corpo inciso, vazado, transmudado
Maurício de Lacerda e o liberalismo radical
Maurício de Lacerda e o liberalismo radical
A mulher, o lúdico e o grotesco em Lya Luft
A mulher, o lúdico e o grotesco em Lya Luft
Receitas para a conjugalidade
Receitas para a conjugalidade
Entre o encardido, o branco e o branquíssimo: branquitude, hiera
Entre o encardido, o branco e o branquíssimo: branquitude, hiera
Newsletter
Ofertas e promoções exclusivas por e-mail